terça-feira, 9 de maio de 2017

Mais que bacana pra xuxu! É o Amor com letra maiúscula!

O dia começou cedo, não por que eu quisesse, mas por que ele fez os cálculos errados das férias e acabou retornando dela no dia exato de seu aniversário. Ele é desses! Você é desses (afinal, é pra ti que escrevo mesmo)! Do tipo que se atrapalha quando fica ansioso e fica nervoso quando se atrapalha... é um ciclo vicioso que te deixa ainda mais fofinho (Fofinho SIM)!
 
Ao contrário dos outros dias em que me obriguei por ti a acordar (muitas vezes) antes do sol raiar e era MUITO difícil, hoje eu acordei cantando, aquela nossa típica musiquinhas de aniversários:


E rimos, como em muitos dos momentos em que estamos juntos. Por que se eu pudesse definir em uma palavra o nosso relacionamento, a palavra seria "GARGALHADA". Dessas mesmas de doer a barriga e faltar o ar. Por que só eu mesma pra rir das tuas piadas de tiozão, mesmo que após serem repetidas umas setenta e quatro vezes...
 
 
Hehehehe. Ri só de lembrar de como não tens medo de contá-las, por que se eu estou ali, sabes que vou rir honestamente. E as pessoas vão acabar rindo mesmo é de mim que estou rindo de uma coisa tão besta. Mas tudo bem, por que é assim que as grandes equipes trabalham, não é? Pode continuar com suas piadas que eu vou continuar rindo.
 
 
Só eu sei que, quando as risadas acontecem pouco antes de dormir, quando me dá aqueles ataques de bobiça logo depois de escovar os dentes, depois das risadas vem aquelas cafungadinhas, as palavrinhas cheias de mel e carinho, os abraços apertados e aquela vontade de não soltar nunca mais... eu fico ali e tu também... Tão bom!
 
 
Eu tenho sempre essa vontade de não te soltar nunca mais! E tenho vontade de te ver sorrir, de te ver tranquilo, de te ver curtindo a vida sem preocupações, de te proteger e arrancar de ti tuas super-ansiedades... Por que hoje e sempre, meu Amor, e pro resto das nossas vidas eu vou estar aqui, e sempre garantindo (de todo o meu coração) que "Vai dar tudo certo!"...
 
 
Eu sei que, mesmo na tua ânsia (e um pouco de receio) pela vida, você acredita em mim! E eu acredito que se eu acredito e você acredita, não tem nada no mundo que possa dizer o contrário! Quem acredita sempre alcança! Entendeu? Vem comigo que eu sempre vou estar contigo, e essa vida maravilhosa que construímos também vai estar conosco! (OBA!)
 
 
Esse é o teu sexto aniversário que passamos juntos! Obrigada por todos eles e todos que ainda virão! Obrigada por me fazer tão feliz e por ser o verdadeiro Amor com letra maiúscula! Hoje é o dia do Amor! Parabéns pelo seu dia!
 
Te amo pra sempre meu... 
FOFUCHINHO... FOFOLENTINHO... TCHUTCHUQUINHO... hahahaha... MEU AMOR!


quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Não foi tragédia, foi milagre!


Foi sem me consultar que, em Abril de 2013, enquanto ainda éramos noivos, ele secretamente já tinha decidido que adotaríamos uma pequena Labradorazinha... da ninhada de 11 que torturava correndo e cansando a mamãe Bisteka. Tutti, quase não mamava, por que a concorrência era enorme e desleal. 

Seus irmãos eram daqueles gorduchinhos que viviam pendurados nas tetas da mãe enquanto ela andava. Já a nossa pequenininha, dormia... Me ganhou quando não fez cocô em mim (como a irmã fez) e coube na palma da minha mão... Quando a aconcheguei, se acomodou no meu decote, entre meus seios e dormiu mais um pouquinho.

Chegou com 35 dias, a barriguinha inchada e aquelas patinhas que pareciam de brinquedo. Mimada desde pequetitinha. Nossa primeira desculpa para trazê-la para dormir no quarto, era que deixá-la chorando na lavanderia acordaria os vizinhos... os vizinhos se mudaram (por outras razões)... e nós a usamos como desculpa para sair de um apartamento de 46m² para um sobrado de 132m².


Lá ela tinha espaço... mas não tinha amigos, só convivia com gente e parecia não saber que era um cachorro, mesmo quando estava rodeada deles. Foi em Novembro de 2013 que a Zelda surgiu, para salvar a Tutti dessa vida de filha única que ela levava. Chegou com aquele ar piduncho de quem não espera nada além de carinho, dando suas lambidinhas inconvenientes e nos conquistando com seus olhinhos de mel.

Elas logo ficaram amigas, irmãs. Brincavam de revirar as casinhas, as pedrinhas e meu vaso de manjericão. Muitas vezes pensamos em como seriamos mais livres (e com mais dinheiro) como qualquer outro jovem casal sem filhos, se não as tivéssemos adotado... e no mesmo segundo sorriamos, na constatação óbvia de que também não seriamos tão felizes sem elas. Sempre valeu a pena! 

Com as meninas não existia tédio... a Tutti latia e brincava, o tempo todo se fosse possível... A Zelda lambia e gostava de ficar aconchegada em mim, o dia inteiro se eu topasse! Se não havia nada pra fazer e se elas estavam cansadas, ainda podíamos tirar fotos delas e dar boas gargalhadas com o resultado... o cachê era em palitinhos, maçã e carinho. 

O acidente de 04 de janeiro de 2016 ocorreu de forma inesperada e interrompeu tantas programações que, por rotina, sempre envolviam nossas meninas. Ouvi muitos falarem que foi uma tragédia, mas só consigo pensar que foi um milagre... um milagre estarmos vivos, uma tristeza enorme não tê-las mais em nossa rotina, mas um milagre termos recebido a bênção de conviver com elas nestes últimos anos.

Ontem, comendo manga na cama (por que foi nela que passei os últimos dias), derrubei um pedaço no lençol que o Rafa tinha acabado de trocar... sorrimos, ao lembrar que a Tutti não estava ali para limpar (e deixá-lo todo babado)... e que talvez não conseguiríamos sequer estar comendo a manga em paz, por que elas adoravam frutas e sempre ficavam nos rodeando nessas horas...

Hoje minha casa ainda está cheia de pelos... o sofá ainda com a mantinha que o protegia das brincadeiras malucas que elas inventavam pulando por cima dos móveis, correndo uma atrás da outra... As casinhas ainda no quintal e os sacos de ração gigantes ainda estão esperando serem doados. As fotos ainda estão na parede da sala... 

Eu sei que o tempo aos poucos vai transformando a dor em uma saudade com lembranças alegres... aos poucos vou pensando só nos sorrisos e agradecendo a Deus por tudo de tão lindo que nos trouxeram... Que continuem nos iluminando e nos alegrando lá do céu... e voltem logo pras nossas vidas terrenas, tão logo nosso coração esteja pronto pra recebê-las, da forma que for.

.... As vezes ainda choro constatando a falta que me fazem, outras sorrio de lembrar de toda alegria que trouxeram à nossa vida... A vida continua... Nós estamos vivos e de alguma forma, vocês também estão!

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

E lá se vão 18 anos...


Não há melhor motivo pra retornar às palavras (não jurídicas) do que essa depressão incrivelmente alegre em que me encontro ao amanhecer nesta data! Hoje fazem 18 anos que ele veio ao mundo, ser o foco das nossas piadas, dos nossos ciúmes e do nosso amor! Ele veio pra ser o elo que completava essa família pouco tradicional, de cores, cabelos e humores tão diferentes!

De cabeça avantajada e orelhinhas "avoantes", quando o pai não estava por perto pra jogá-lo pra cima e mergulhar junto na lagoa, enquanto eu e Mariana tínhamos sempre uma à outra, ele preferia desde cedo sua própria companhia e ficava lá, com suas inúmeras personagens imaginativas... na maior parte das vezes monstros e bandidos que costumavam matar o pouco dos mocinhos que nele habitavam. 

Ele nunca quis ser o mocinho, sempre preferiu o vilão! E veja só que malandra essa vida, que, depois de algumas poucas travessuras, fez dele justamente o bom moço, o bom filho, o bom irmão... Naturebinha que só, prefere o verde do que o Cheetos, a maçã ao chocolate, gosta de pimenta, de política e de livros, muitos livros. O que é ótimo, por que ao contrário do resto da família, pra ele, a gente sabe o que dar de presente, sem medo.

O porquê da minha depressão? É que já fazem 18 anos que eu deixei de ser só a irmã mais nova da Mari pra ser, de repente, a irmã mais velha de alguém! Ele já ser adulto, mesmo na minha cabeça ainda sendo um pequeno comedor de gelatina, me faz lembrar que eu já sou uma jovem senhora, caminhando pros Trinta anos, vendo os números na balança crescerem, os cabelos esbranquiçando... Meu Deus, Socorro!

Lá se foram 18 anos em que eu quase completava 9 e, ansiosa, fui te observar pela primeira vez, por detrás do vidro da maternidade, deitado de bruços, sobre os joelhinhos, com a bunda pra cima, literalmente, desde sempre a gente sabia que a tua nasceu (mesmo) virada pra lua! Como tinha de ser! E com isso nasceu em nós também um amor incondicional, o que nem precisava, por que é fácil demais te amar!

Parabéns meu irmão, que continues assim tão lindo, tão iluminado e tão você mesmo!

Te amo pra sempre!

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Do amor pelas palavras (Ou "Quem é vivo sempre aparece")!


Preciso confessar, eu já quis que a semana acabasse logo, acho até, que a última vez que tive esse anseio foi hoje pela manhã, quando percebi que já era o terceiro "soneca" do despertador, que eu tinha que levantar da cama macia e, o que é pior: que, cedo ou tarde, eu seria obrigada a abrir os olhos. Foi cedo, em torno das 6h00!

Pra me redimir, basta que vocês saibam que logo depois do banho, quando consegui manter meus olhos abertos e piscar com mais presteza, não comecei o dia querendo que ele acabasse, pelo contrário, me dei conta da lista de afazeres que tenho pra concluir antes do término desse mês e desejei desesperadamente que os dias fossem muito mais longos que um ano!

Pensei em deixar pra lá esse texto e começar logo com as muitas "demandas indenizatórias", "Rescisões contratuais", "Repetições de indébito", entre outras coisas que ditam meu itinerário... Mas não consegui... tem algo em mim que sente falta daqui... sente falta de escrever palavras sobre o que sinto ao invés dos direitos das coisas. 

Uma parte de mim, ainda se pergunta se eu não deveria abandonar a advocacia, me inscrever no The Voice, montar uma banda, comprar um trailer, virar vegana e pegar a estrada com o Amor. Bebo um gole de chá, respiro fundo e deixo a crise existencial pra lá. Eu sempre fui apaixonada por palavras, escrever sobre a vida (minha ou das pessoas) é definitivamente a minha sina, a minha tara, a minha grande e louca paixão! 

Desde sempre, daquele tempo que não lembro bem, mas que provavelmente tinha letras trocadas. Pra mim, não havia tarefa mais divertida do que ter de escrever minha própria história pro livro de contos de alunos que a Escola publicava todo final de ano. Certa vez, na primeira série do ensino fundamental, a minha até me rendeu uma medalha dourada... acho que a tenho até hoje.

Depois que peguei intimidade pelas palavras, com elas mantenho um caso de amor (e ódio... mais amor do que ódio). Muito embora faça um bom tempo que eu não apareça por aqui... continuei a me envolver com elas. Mais com as que abordam a defesa dos outros do que as que contam a minha própria trajetória, o que não me deixa menos excitada.

De modo algum significa que, eu e as palavras, tenhamos nos afastado. Essas que por ora circundam meus dias e preenchem meu tempo quase que em sua totalidade, são parte importante desse processo de construção de mim mesma, tanto profissionalmente quanto como ser humano. Ser humano tem tudo a ver com palavras!

É extremamente necessário ao futuro da humanidade que os seres humanos saibam usá-las... falada, cantada, escrita, gritada ou calada... mesmo que sejam palavras tão simplórias  e despreocupadas quanto estas que eu por ora escrevo... mais pra mim mesma do que pra vocês...

...De todo modo, obrigada por vir e, por favor, quando for se envolver com palavras, preste atenção na gramática!

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Acerca do resultado das pesquisas... e daqueles que acham que as manifestações de Julho foram em vão se o PT ganhar:


Eu não consigo enxergar as manifestações de Julho como uma batalha épica em face do PT. Primeiro por que, em julho falamos de insatisfações em áreas de responsabilidade de todas as esferas governamentais e, isso significa dizer que, por exemplo, aqui no Paraná, estamos insatisfeitos com um governo que não é do PT, os praças da polícia militar que o digam, afinal estão sofrendo na pele, no bolso e nas condições de trabalho, os louros da péssima administração do PSDB. Prova disso é que as manifestações mais duradouras e violentas se deram em Belo Horizonte e no Rio de Janeiro, dois governos de oposição ao governo Federal (No Rio de Janeiro o PMDB não é aliado do PT).

Além disso, não acredito que corrupção é um mal contemporâneo! Se analisarmos bem a nossa história, perceberemos que a corrupção assola este país desde que nossos queridos portugueses colocaram os pézinhos aqui e, neste quesito, corrupção, somos um povo craque, em todos os âmbitos sociais, não apenas no político. Para mim, tudo isso que aparece na TV hoje, é apenas a divulgação de esquemas de aparelhamento e uso da máquina pública para fins escusos que ocorrem já há muito tempo, e que, oportunamente, só agora nos permitiram acesso a informação... é por isso que o Governo do PT parece mais sujo do que os outros.

Na minha opinião, não é. O que eu vejo, é que, para chegar lá, o PT rendeu-se a um esquema corrupto que já é inerente ao status que buscava. Coadunar, com os que na verdade governam nosso país (bancos...empreiteiras...famílias tradicionais que controlam os meios de comunicação de norte a sul do Brasil) é o preço que se paga para estar no cargo mais alto do poder executivo. O PT, aceitou ser parte disso, bem como o PSDB em todos os anos que esteve lá, bem como será com o PSB se a ilusoriamente incorruptível Marina "Fantoche" Silva lá chegar...

Aceitar, que a Marina Silva, que se mostrava idealista, incorruptível e determinada, faça alianças com partidos e, o mais importante, pessoas, que não possuem ideologias iguais as dela, para então, ter mais minutos na televisão e mais dinheiro para arcar com campanhas milionárias, é concordar, que, para chegar lá, não é possível ser honesto e nem tampouco íntegro... exatamente como aconteceu com o dogmático e popular partido dos trabalhadores, que hoje poderia se chamar partido dos banqueiros.

Todas as alianças firmadas por Marina para alcançar o tal cobiçado cargo, não vão sair de graça, nem para ela... e nem pra gente... os cargos comissionados já estão sendo distribuídos... a Friboi, já investiu pelo menos 10 milhões nas campanhas de cada um dos favoritos... as empreiteiras e outros grandes interessados também... fazem isso por que são engajados politicamente falando? Não, fazem isso para garantir que lá na frente saiam vencedoras das concorrências certas...

Fazem isso para que os nossos representantes garantam que todas as obras sejam feitas em regime de urgência, burlando licitações, lucrando com aditamentos milionários em todos os contratos públicos, mesmo que seja para revitalizar uma praça ou construir uma quadra de calçada... Para mim, reiterar o que se disse nos protestos de julho seria mostrar à eles, inclusive à Marina, que não aceitamos exceções em nossos ideais para satisfazer o ego das grandes empresas...

Ainda que a Luciana Genro não tenha chances de vitória, fazê-la atingir um número significante de votos vai mostrar aos políticos que boa parte do povo clama por um estado laico, livre de preconceitos e de violências fruto de intolerâncias de gênero, de cor e religiosas... Votar nela, pra mim é mostrar que não concordamos em trocar cargos comissionados por dinheiro, que não somos coniventes com a troca de gentilezas interessadas, como o arquivamento da CPI do mensalão de Minas em troca do Arquivamento da investigação contra o Palocci... Enfim...acho que é isso que eu quis dizer em Julho... e vou continuar dizendo nas urnas...

O nosso objetivo, não deveria ser tirar o PT do poder e colocar um "menos pior"... e sim, tirar a JBS Brasil, a Família Marinho, a Família Setubal, a família Sarney, os Collor, a Odebrecht, a Frebaban... e assim vai... Não é uma sigla que acaba com um país... e sim pessoas corruptas... estas, infelizmente, estão por toda parte!

É completamente utópico acreditarmos que, com qualquer um dos outros partidos políticos estaremos salvos da corrupção. Obviamente, até o PSOL da Luciana Genro, tendo oportunidades, vai nos mostrar que também esconde a podridão em algum, ou alguns de seus pares.

Se não conseguimos extinguir a corrupção do nosso dia a dia (furando sinais vermelhos, atravessando fora da faixa de pedestres, não devolvendo o troco errado da padaria, furando fila...) como as pessoas conseguem acreditar que limparemos o antro do poder, onde se escondem as mais tentadoras ofertas de corrupção?

Escândalos como este da Petrobras sempre vão existir...SEMPRE! O que precisamos garantir não é que os corruptos cheguem lá e sim, que corrompendo-se lá, sejam devidamente punidos! O importante aqui é compreender que não estou falando de partidos... estou falando de pessoas...
 
Os poderosos vão continuar roubando, como todos os outros que já passaram por lá... sei que não podemos lhe passar alvará para fazê-lo indiscriminadamente, no entanto, votar na Marina, ou no Aécio... não vai resolver nosso problema... eles não vão entender o recado! Só vão entender o recado quando se sentirem ameaçados pela honestidade e pela integridade de pessoas que não vendem seus futuros cargos comissionados por financiamento de campanhas políticas!

terça-feira, 3 de junho de 2014

Não quero feijão OU arroz!


Eram 6h da manhã.Curitiba amanheceu com lindos 3ºC, para alegrar o coraçãozinho de quem pôde ficar embaixo das cobertas, sonhando com dias mais quentes e com um país melhor... quanto a nós, reles mortais, viemos a luta!!!

As 4 cobertas e as duas caninas quentinhas que me cobriam estavam quase grudadas a mim, tão anexas ao meu corpo de forma que afastá-las da pele doía quase tanto quanto um escalpo. Os músculos e os ossos, antes um bloco só, começaram a se movimentar lentamente, estimulando as articulações aos primeiros passos do dia.

Eu me recordei por um momento do velho ditado e encarei o despertar madrugueiro, crendo piamente que assim o homem lá de cima me ajudará, o que me incentivou, de forma tímida mas eficaz, a tirar o macacão quentinho e apeluciado com estampa de gatinhos... com esse frio, é esse pijama infantil e desencanado que veste meu corpinho.

O banho quente (bem quente) e a ducha forte do chuveiro me acordaram pouco a pouco. Tanto, que sai do banho cantando uma música que não sei a letra e saltando quase sem pressa na roupa limpa, quentinha e sem estampas. Por um momento senti saudades dos meus cabelos longos para aquecer o pescoço. A saudade passou quando sequei as madeixas em menos de 5 minutos.

Mal sabia eu, em meio as pequenices da rotina madrugueira, que batalhas épicas de pensamentos políticos me aguardavam naquele dia frio de céu azul. Normalmente evito manifestações públicas por crer que não sei da verdade e portanto não tenho o direito de me manifestar... só eu sei quanto é duro para mim calar minhas ideias perante a ignorância de alguns, no entanto, pode ter sido o frio, o banho, ou mesmo a música que não sei cantar que me atiçou a reação.

Hoje resolvi falar. Consciente de que qualquer crítica a alguma postagem de um semi-engajado na causa Anti-PT me tornaria uma "petista burra que não vê que o PT é culpado de todo o mal que assola o Brasil"... ao mesmo tempo atenta, para o fato de que se não sou PT, com certeza sou PSDBista, da "Direita Tradicional, burquesinha Pão com Ovo", quem sabe até, se eu simpatizar com o Fernando Henrique Cardoso, automaticamente me torne maconheira.

É uma faca de dois legumes, como já diria alguém que acho pseudo-engraçado. Nós viramos um país de extremistas, capazes de divulgar qualquer bobagem infundada para defender nossas opiniões sem argumentos. Opiniões estas formadas com respaldo em quaisquer mentiras/omissões/piadas que possam embasar aquela sementinha da ignorância disfarçada de cultura sócio-política.

Não procuramos informações para chegar as nossas próprias conclusões, pelo contrário, buscamos conclusões que se encaixem exatamente naquele pré-conceito, obviamente pré-formatado, advindo de um discurso de terceiro influente (mas não imparcial), coerente com alguma sementinha extremista de um ou de outro lado que já foi plantada em nós desde a infância.

Aquele vídeo de apenas uma frase encaixada em contexto diverso do contexto originário, é perfeito para nos mostrar quem é este ou aquele político. Não nos importa mais a verdade dos fatos, importa a possibilidade infinita de achincalhar alguém com as interpretações mirabolantes que se pode dar à uma única frase fora do contexto. E está feito.

"Se você não gosta do Aécio Neves"...que será julgado por desvio de R$4,3 bilhões de reais pela justiça de Minas Gerais... "nem do Eduardo Campos", amigo do Celso Pitta, envolvido no escândalo dos precatórios e acusado de envolvimento com fraude em licitações, com sua vice Marina Silva, evangélica pró-natureza e anti-casamento-gay... "Então você é PETISTA, então merece a Dilma que tem"! Peraí, não existem mais opções?

Se eu conto que desde pequena simpatizei com o PT, que frequentava passeatas, ganhava peões com estrelinha vermelha e pegava na mão sem dedo do Lula, já me chamam logo de "COMUNISTA". Calma, hoje não faço mais nada disso, nem sequer ouso levantar a bandeira do PT, ou seja lá de que partido for... Mas acho muito estranho que, ser PT virou sinônimo de comunista justo depois que eles já aderiram a todo tipo de acordo político-capitalista escuso pra chegar lá, onde todos os outros partidos grandes já estiveram.

"Co-mu-nis-ta"! Você nem sabe o que significa isso, nem se recorda das aulas de história, do livro vermelho de quem "comia criancinhas"... Só por que dizem por aí que a Dilma vem investindo em CUBA! "Meu Deus, o Brasil vai virar uma ditadura comunista"... Não é bem assim, não sou mais PTista, nem Comunista, muito menos Dilmista, quanto a esta tenho inclusive um certo asco, mas o que entendi até agora (De toda a leitura não imparcial de vários pontos de vista que li, de todas as informações superficiais disponíveis) foi que:

Quem está construindo o Porto de Cuba é a Odebrecht, uma parte com o dinheiro do BNDS. Segundo a revista Carta Capital, a construção do Porto de Mariel custou 957 milhões de dólares, sendo 682 milhões de dólares financiados pelo BNDES. Sendo que 802 milhões dos dólares investidos na obra foram gastos no Brasil, na compra de bens e serviços comprovadamente brasileiros.

Embora eu me questione do porquê não investir o dinheiro integralmente aqui no Brasil, acho plausível a desculpa de que o Brasil não oferece oportunidades pra uma obra deste tamanho em decorrência das leis ambientais... eu sei bem como são as leis ambientais... Se o porto saísse aqui, teríamos tantos "eco-chatos" criticando o governo que oraríamos 100 Aves Marias para ter de volta os "anti-PT".

Que a Odebrecht já roubou muito e já pagou alguns tantos figurões "importantes" pra fazer isso acontecer, acredito. Basta analisar o vasto histórico de escândalos e denúncias de corrupção envolvendo a Odebrecht desde 2002, ano em que o Sr. Lula-lá finalmente conseguiu seu lugar ao sol do poder e das vantagens econômicas suspeitas.

Por outro lado, desde aquele momento, o que se viu foi um enorme crescimento da economia brasileira, com investimentos em empresas daqui, abertura de mercado para empresas de outras bandas que possam gerar empregos e nacionalizar produtos, a menor taxa de desemprego que já vimos, o maior índice de alfabetização, o aumento de poder econômico de grande parte da população, a diminuição das desigualdades sociais, a democratização do crédito e do acesso ao ensino superior... enfim...


Além disso, não acredito nessa história de que a corrupção aumentou exponencialmente, o que eu vejo é que dez anos atrás não existia Facebook, nem acesso rápido as informações como vemos hoje. Até a notícia de uma certa corrupção chegar ao jornal e ele ser impresso, já tinha chego o dia do último capítulo da novela e ninguém queria mais saber da Mineradora que foi vendida a preço de banana lá do outro lado do Brasil. E, como sempre, a imprensa parcial nos trata como massa de manobra pra interesses que a gente nem imagina, nem nunca vai imaginar. Prefiro não acreditar no que vejo na TV, seja anti ou pró PT. E vivo feliz aqui, no Brasil.

Pode ser a minha sementinha da pré-conceituação falando mais alto, mas penso que o que não me faz tão insatisfeita com o Brasil que enxergo hoje é o simples fato de que, desde que posso me lembrar, nos últimos 10 anos, minha vida melhorou. Consegui uma vaga em uma Universidade Pública, depois consegui financiamento através do FIES para concluir o curso em uma Faculdade Particular, comprei uma casa com financiamento da Caixa Econômica... enfim, a MINHA vida melhorou. E se tem alguma coisa nessas histórias todas que a gente vê por aí que eu posso garantir que é real é isso, a MINHA vida melhorou.
Não sou PSDB, mas também não sou PT, nem tampouco comunista. Estou farta desse extremismo. É como dizer que, se eu gosto de arroz, nunca mais posso comer feijão. O Brasil de verdade não é assim. Nós viemos de tantas culturas, tantas misturas e tantas comidas diferentes que é impossível dizer se minha pele é branca ou preta, o que dirá de pensamentos políticos embasados em meias verdades maquiadas. O que se vê na TV ou no Facebook, seja qual for a vertente política, não pode servir de pilar da verdade em um mundo (e imprensa) cheio de interesses em nos ludibriar pra vender mais ingressos pro jogo de futebol.

Quer mudar alguma coisa no Brasil? Mudar de verdade? Não adianta votar em ninguém... Acredito que até mesmo a oposição ferrenha, como o PSOL, se corromperia no poder (ou para chegar lá)... mas também não adianta votar nulo... O que vai fazer a diferença mesmo é você mostrar pros seus filhos que TODOS os tipos de corrupção são reprováveis e, investir na educação, é claro! Aos poucos a gente consegue mudar a mentalidade da sociedade brasileira.

Talvez eu mesma não veja a mudança, nem seus filhos... mas quem sabe, se nossos filhos também ensinarem aos nossos netos que o "jeitinho brasileiro" não leva nada a lugar nenhum sem cobrar um preço alto, talvez nossos bisnetos possam ignorar o PT, o PSDB e tantos outros partidos, para ser somente, e tão somente, pró BRASIL!

terça-feira, 29 de abril de 2014

Depois que ela nasceu!

 
Há uns tantos anos atrás, neste mesmo dia, ela nasceu! Não digo quantos, mas digo que de lá pra cá houve tempo suficiente para aprender das coisas da vida, me gerar, me criar, me ensinar a viver...e nunca se cansar (quase nunca) de me educar, recriar e continuar vivendo! Foi tempo suficiente pra ter se tornado a "Mãe da Noiva", depois de ter sido a "ma-ma", a "Mamãezinha", a "Mami", a "Mamadi"... a minha Mãe!
 
Foi depois que ela nasceu que o mundo mudou de figura. Foi depois que ela nasceu que eu ganhei perspectiva de vida novamente, depois de tantas outras vidas em que com certeza nos encontramos e reencontramos em outras formas, em outros mundos... O que eu sei, é que depois que a minha mãe nasceu eu comecei a me preparar para nascer também... Só pra poder vê-la de novo!...E foi desde que eu vim também, que o mundo dela acabou mudando de figura! Só o que posso garantir foi que, depois disso, para mim, fazer parte do mundo dela fez uma diferença danada no meu!
 
Ao que posso me lembrar... Desde os tempos em que ela participava de todas as reuniões de pais e de todos os eventos da escola... Que me ajudava no dever de casa e me incentivava a leitura... Que improvisava bolos de aniversário, mesmo sem ser especialista em bolos e bolava festas temáticas, com sorvete e fantasias pra deixar tudo mais divertido!
 
Desde que passava as tarde jogando War, e escutando mil vezes as músicas do Renato Russo, só por que eu gostava... Que aguentava meu sonambulismo com bom humor, minhas TPM's deveras precoces, minhas crises de cólica intermináveis, fazendo cházinho de tudo, e usando própolis pra tudo. Foi por que ela nasceu... e cresceu... e me gerou... e me amou... que um dia ela pôde me ensinar a cozinhar... começando com panquecas (Agradeçam-na)!
 
Foi por que nasci no meio do mato que ela diz que aprendi a "canoar" antes mesmo de andar e que desde sempre fui um peixinho na lagoa... Depois, foi por que ela me levou para morar em uma casa que tinha melancias que nasciam no jardim que melancia está entre minhas frutas prediletas... e por que ela me deixava ficar com (quase) todos os cachorros que eu achava na rua que eu gosto tanto de bichinhos fofinhos (estes que mudam a vida das pessoas...)!
 
Aí foi então, por que nos mudamos de casa tantas e tantas vezes que acabei pegando gosto pela coisa e prática na arte de mudanças... Das tantas que ocorreram em minha vida, eu sempre me adaptei muito bem... Posso apostar que a minha adaptabilidade e a forma que encaro as mudanças também foi culpa dela, que me ensinou a não ter medo de mudar... mesmo que eu saiba, aqui dentro, que ela sempre teve um pouco de medo...
 
Foi por que ela sempre se vestiu de forte pra encarar o mundo feito mãe leoa que hoje eu acredito tanto que posso combate-lo, por conta das princípios, das argumentações e das batalhas que ela me deixou envolver que hoje não fujo a luta... mesmo quando talvez devesse! Foi, acima de tudo, por conta de todo amor que ela me dedicou que hoje sou capaz de amar... e viver!
 
Hoje é aniversário dela... Em poucos dias, teremos o "Dia das mães"... mas pra mim, o dia dela é todo o dia, por que nem de longe ela deixa de ser a melhor do mundo... A minha mãe!!!
 
TE AMO MAMADIIIIIIIII!!!